Login    
Cadastre-se
Responda nossa pesquisa de público, clique aqui.
Alexandre

Alexandre Lara

Alexandre

 

RJ – Curso Norma ISO 50001 – Sistema de Gestão da Energia

Fonte: Procel Info

A Eletrobras, em parceria com a Sociedade Brasileira de Metrologia – SBM, oferece o curso da norma ISO 50001 – Sistema de Gestão da Energia. O objetivo do curso é fornecer informações relevantes sobre a norma, possibilitando aos profissionais analisarem os benefícios de sua implantação. Ao final do curso, o profissional deverá conhecer a estrutura do sistema de gestão proposto na Norma e avaliar a sua aplicabilidade.

Público Alvo: Profissionais de gerência ou técnicos, consultores e acadêmicos interessados em entender o processo de implantação de um Sistema de Gestão de Energia de acordo com os requisitos da Norma.

Requisitos: Formação desejável em engenharia para nível superior ou técnica para nível médio. Experiência com atividades de eficiência energética ou gestão de energia.

Conteúdo Programático:
– Gestão da energia;
– Requisitos gerais abordados pela Norma;
– Avaliação de requisitos específicos;
– Resultados esperados da aplicação da Norma;
– Exercícios básicos.

Data: 29 de agosto

Horário: 8:30 às 17:30

Duração do curso: 8 horas de aula

Local: Av. Nilo Pessanha nº 50 – sala 2517 – Centro – Próximo ao metrô da Carioca – RJ

Investimento: Associados: R$ 377,51 / Não Associado: R$ 453,01

Obs: A taxa de inscrição inclui: Certificado, Material didático e Coffe break

Informações: (21) 2532-7373 ou através do cursos@metrologia.org.br

Site: Portal da Sociedade Brasileira de Metrologia

21/08/2014
RJ – Curso Norma ISO 50001 – Sistema de Gestão da Energia" addthis:description="Fonte: Procel Info A Eletrobras, em parceria com a Sociedade Brasileira de Metrologia – SBM, oferece o curso da norma ISO 50001 – Sistema de Gestão da Energia. O objetivo do curso é fornecer informações relevantes sobre a norma, possibilitando aos profissionais analisarem os benefícios de sua implantação. Ao final do curso, o profissional deverá […]">

Certificação para LED deve transformar mercado de iluminação

Fonte: O Nortão

Acesse aqui o artigo em sua origem.

Nos próximos meses deve ser publicada a Portaria do Inmetro nº 477, que estabelece níveis mínimos de qualidade para lâmpadas de LED. Os prazos para as mudanças chegarem ao consumidor devem ser conhecidos quando publicado o decreto no Diário Oficial.

Se o setor de iluminação já passou por abruptas mudanças com o surgimento dos LEDs (sigla em inglês para diodo emissor de luz) e a retirada das incandescentes, as transformações impostas pelo regulamento devem renovar o panorama do nicho. “Esperamos que esta norma possa retirar do mercado os produtos com tecnologia LED de baixa qualidade e que possa também padronizar alguns parâmetros, facilitando para que o consumidor possa escolher o melhor produto para sua aplicação”, afirma Fabio de Oliveira, engenheiro de produtos da Lâmpadas Golden.

A empresa, que aplica esforços em laboratórios de testes para garantir a qualidade de seus produtos, prevê que muitas marcas devem sair do mercado por não atenderem aos padrões mínimos e não possuírem investimento para melhoria de seus produtos e para submetê-los aos testes necessários. No campo de evolução científica, Oliveira acredita que a portaria estimulará o contínuo progresso como distinção do LED. “Quanto melhor for o produto, mais diferencial ele tem e não haverá barreiras nem na certificação, nem na pesquisa”, diz.

O regulamento será compulsório e terá diferentes prazos para adequação, como aconteceu nas mudanças recentes da lâmpada fluorescente compacta. As exigências técnicas foram baseadas em normas internacionais, reuniões com empresas e entidades representativas do setor, além da consulta pública que terminou em dezembro de 2013.

O consumidor poderá identificar os produtos certificados por selos nas embalagens, como acontece no Programa Brasileiro de Etiquetagem, com a Ence (Etiqueta Nacional de Conservação de Energia). Enquanto o prazo final não chega, o consumidor deve escolher marcas reconhecidas pelo mercado, que possuam tradição no segmento de iluminação e que tenham outros produtos que atendam outras normas de qualidade.

21/08/2014
Certificação para LED deve transformar mercado de iluminação" addthis:description="Fonte: O Nortão Acesse aqui o artigo em sua origem. Nos próximos meses deve ser publicada a Portaria do Inmetro nº 477, que estabelece níveis mínimos de qualidade para lâmpadas de LED. Os prazos para as mudanças chegarem ao consumidor devem ser conhecidos quando publicado o decreto no Diário Oficial. Se o setor de iluminação já passou por abruptas […]">

Qualidade interna do ar

Fonte: Infra – Mundo Facility

Acesse aqui a matéria em sua origem.

Exigências para que laboratórios sejam acreditados pelo INMETRO e possam realizar medições ambientais

A deliberação normativa do Conselho Estadual de Política Ambiental (COPAM) nº 16, de 29 de junho de 2011, que rege sobre Qualidade do Ar Interior (QAI) no Estado de Minas Gerais, exige que laboratórios de análises ambientais sejam acreditados para ensaios e calibrações nos termos da NBR-ISO/IEC 17025, junto ao INMETRO ou junto a organismo que mantenha reconhecimento mútuo com o INMETRO.

Esse processo de qualidade garante mais confiança, rastreabilidade e credibilidade nos resultados de ensaios, sendo executado por equipes treinadas, processo definidos e equipamentos calibrados.

No link a seguir, confira a norma completa para análise:

http://www.feam.br/images/stories/arquivos/laboratorios/deliberacao_normativa_copam_167.pdf

31/07/2014
Qualidade interna do ar" addthis:description="Fonte: Infra – Mundo Facility Acesse aqui a matéria em sua origem. Exigências para que laboratórios sejam acreditados pelo INMETRO e possam realizar medições ambientais A deliberação normativa do Conselho Estadual de Política Ambiental (COPAM) nº 16, de 29 de junho de 2011, que rege sobre Qualidade do Ar Interior (QAI) no Estado de Minas Gerais, exige […]">

Eficiência energética é desafio para indústria

Fonte: Jornal do Comércio

Acesse aqui o artigo em sua fonte.

São Paulo – Em um momento em que a eletricidade torna-se um insumo cada vez mais caro e importante, cresce a necessidade das práticas de eficiência no setor. No Brasil, a área industrial é a maior consumidora de energia. Dentro desse segmento, as pequenas e médias empresas, percentualmente, são as maiores desperdiçadoras e, portanto, as que têm mais chances de reduzir os gastos, afirma o presidente da Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia (Abesco), Rodrigo Aguiar.

O dirigente acredita que as medidas de eficiência não ocorrem com tanta frequência nesse nicho por uma questão de falta de informação ou de uma linha de crédito adequado. Para tentar amenizar o problema do desconhecimento, a Abesco e o Sebrae lançaram ontem uma cartilha de eficiência energética destinada à área industrial. Apesar das dificuldades, Aguiar argumenta que a preocupação com o tema vem crescendo no País. Segundo o integrante da Abesco, somente em energia elétrica, o Brasil desperdiça metade de toda geração de Itaipu (em 2013, a usina alcançou a produção de 98.630.035 MWh).

Outro fator que aumenta a necessidade de se ter um uso de energia mais eficiente é a limitação que se enfrenta quanto à expansão de novas fontes de energia. O dirigente lembra que, antigamente, era muito mais fácil realizar a implantação de uma hidrelétrica ou de uma térmica.

A promoção do consumo eficiente consta nos planos nacional de energia e no de eficiência energética do Ministério de Minas e Energia. A meta é atingir uma diminuição de cerca de 10% do consumo de energia elétrica até 2030. Inicialmente, o consumo base projetado para esse ano no País seria de 1.027.896 GWh. Com as medidas de eficiência, o objetivo é baixar esse número para 921.273 GWh.

Conforme o presidente da Abesco, o percentual de economia de energia com o investimento em projetos de eficiência energética irá variar dependendo do setor. No entanto, em média, é possível conseguir algo na ordem de 20% a 40%. Aguiar também salienta que a eficiência energética também contribui para a redução da emissão de gases que provocam o efeito estufa.

O dirigente comenta que uma opção muito utilizada no setor industrial para adotar essa atitude é a troca de motores. O presidente da Abesco adverte que cerca de 20% de todo parque nacional desses equipamentos já verifica mais de 25 anos de uso. “A curva de trabalho deles é totalmente comprometida, o consumo é muito superior ao original de fábrica”, aponta.

Aguiar diz que uma empresa que quiser diminuir o uso de energia pode contratar uma consultoria que fará a avaliação das possibilidades. Essa companhia fará uma análise para levantar quanto o cliente gasta de energia, onde e como pode haver a redução.

O diretor comercial da Intral (provedora de soluções em iluminação), Gerson Teixeira, enfatiza que iniciativas de eficiência energética possibilitam que se retarde a exigência de novos investimentos para aumentar a oferta de energia elétrica. “Trata-se de usar de forma eficiente os recursos que já temos.” O empresário acrescenta que o tema também envolve a questão da competitividade das empresas brasileiras no mercado internacional.

Para Teixeira, a eficiência energética é uma política que precisa ser desenvolvida pela sociedade como um todo, envolvendo governos e iniciativa privada. O dirigente cita como opções para a redução de custos com a energia a substituição de lâmpadas, uso de painéis solares para aquecimento, aproveitamento de uma arquitetura que melhore as condições térmicas e de iluminação natural, uso de motores de baixas perdas, entre outras.

O empresário comenta que, por exemplo, o uso de uma iluminação com LED em uma edificação, ao invés das lâmpadas de vapor metálico, permite em menos de dois anos o retorno do investimento com a economia em energia e menores custos de manutenção. “A eficiência energética no mundo e no Brasil é um caminho sem volta”, conclui. O assunto foi debatido no 11º Congresso Brasileiro de Eficiência Energética (COBEE) e ExpoEficiência. O evento ocorreu nos dias 21 e 22, no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo.

30/07/2014
Eficiência energética é desafio para indústria" addthis:description="Fonte: Jornal do Comércio Acesse aqui o artigo em sua fonte. São Paulo – Em um momento em que a eletricidade torna-se um insumo cada vez mais caro e importante, cresce a necessidade das práticas de eficiência no setor. No Brasil, a área industrial é a maior consumidora de energia. Dentro desse segmento, as pequenas e médias […]">

Etiqueta de eficiência energética passa a ser obrigatória em reformas e novas obras de edifícios públicos federais

Fonte: Infra Estrutura Urbana

Divulgação: Procel Info

Acesse aqui o artigo em sua origem.

Brasil – No dia 5 de junho, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) uma normativa que estende a obrigatoriedade da obtenção da Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (Ence) para edifícios públicos federais. De acordo com o texto IN02/2014, publicado pela Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação, todas as edificações novas ou em processo de reformas deverão ser contratadas e desenvolvidas visando à obtenção da Ence classe “A”.

A classificação das edificações pela etiqueta atribui valores de A a E, sendo “A” mais eficiente energeticamente e “E” menos eficiente. São avaliados os sistema de iluminação, de ar-condicionado e envoltória (paredes, cobertura e janelas). O edifício ainda pode ganhar pontos extras com a utilização de energia de fontes renováveis ou a reutilização de água da chuva.

Para os edifícios em construção, é exigido que se obtenha a Ence Geral de Projeto e, posteriormente, da Ence Geral de Edificação Construída classe “A”. Já para edifícios em reforma, será obrigatória a apenas da Ence Geral de Edificação Construída classe “A”.

No Brasil, 25 prédios públicos já possuem a Ence. De acordo com a normativa, estão dispensadas da obtenção da etiqueta as edificações com até 500 m² de área construída ou cujo valor da obra seja inferior ao Custo Unitário Básico da Construção Civil (CUB) atualizado.

A normativa entrará em vigor no prazo de 60 dias após a publicação no DOU.

30/07/2014
Etiqueta de eficiência energética passa a ser obrigatória em reformas e novas obras de edifícios públicos federais" addthis:description="Fonte: Infra Estrutura Urbana Divulgação: Procel Info Acesse aqui o artigo em sua origem. Brasil – No dia 5 de junho, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) uma normativa que estende a obrigatoriedade da obtenção da Etiqueta Nacional de Conservação de Energia (Ence) para edifícios públicos federais. De acordo com o texto IN02/2014, publicado pela […]">

Estado de SP concentra maior quantidade de “prédios verdes”

Recentemente, um levantamento efetuado pelo Jornal O Estado de São Paulo junto à especialistas no setor de Certificação de Prédios Verdes apontou para uma queda no número de registros de empreendimentos que buscam pelo Selo LEED (Green Building Brasil), ao contrário dos que buscam pelo Selo Aqua – HQE (Fundação Vanzolini), número este que vem crescendo.

Vejam aqui a matéria publicada pelo Estadão.

Caso prefiram, copiem e colem em seu navegador o link abaixo.

link:http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,estado-concentra-maior-quantidade-de-predios-verdes-imp-,1153228?utm_source=Virtual_Target&utm_medium=Email&utm_content=&utm_campaign=Meio+Ambiente&utm_term=

29/07/2014
Estado de SP concentra maior quantidade de “prédios verdes”" addthis:description="Recentemente, um levantamento efetuado pelo Jornal O Estado de São Paulo junto à especialistas no setor de Certificação de Prédios Verdes apontou para uma queda no número de registros de empreendimentos que buscam pelo Selo LEED (Green Building Brasil), ao contrário dos que buscam pelo Selo Aqua – HQE (Fundação Vanzolini), número este que vem […]">

Vídeo divulgado pela Exame.Abril.com: Como ser a pessoa que todo mundo adoraria contratar

Vejam o curto vídeo divulgado pela Exame.Abril.com que me foi encaminhado pelos amigos Fátima Sousa e Fernando Gorguet, através da Gorguet’s Professional Network.

Vale a pena!

Como ser a pessoa que todo mundo adoraria contratar exame.abril.com.br

Quais são as características que tornam o nível de empregabilidade mais elevado para uns e inferior para outros? Veja em mais um dos vídeos de…

28/07/2014
Vídeo divulgado pela Exame.Abril.com: Como ser a pessoa que todo mundo adoraria contratar" addthis:description="Vejam o curto vídeo divulgado pela Exame.Abril.com que me foi encaminhado pelos amigos Fátima Sousa e Fernando Gorguet, através da Gorguet’s Professional Network. Vale a pena! http://exame.abril.com.br/videos/sua-carreira/como-ser-a-pessoa-que-todo-mundo-adoraria-contratar Como ser a pessoa que todo mundo adoraria contratar exame.abril.com.br Quais são as características que tornam o nível de empregabilidade mais elevado para uns e inferior para outros? Veja […]">

Should Designers Be Liable to Contractors for Drawing Errors?

Todos os que convivem com projetos e construções sabem da dificuldade hoje existente nas diferentes modalidades de projetos…

São problemas que envolvem desde falhas nos documentos gerados, até mesmo omissões em relação a itens importantes.

Vejam o artigo abaixo publicado pelo ConstructionPro, o qual aponta uma atual discussão sobre a responsabilidade de projetistas e construtores.

—————————————————————————————

From: ConstructionPro Network

By: Bruce Jervis

Here is the link for the original publication.

It has long been controversial: Should design professionals be directly liable to construction contractors for deficiencies in the drawings and specifications? There are arguments on each side. On one hand, contractors necessarily rely on the design documents when bidding and performing the work. And, the architect or engineer knows there will be reliance on these representations. On the other hand, the design professional contracts with the project owner, not the constructors. The designer’s responsibilities – and liabilities – are to the owner.

The Texas Supreme Court recently came down on the latter side of this argument. Contractors cannot recover in negligence from design professionals for economic losses caused by errors in the drawings and specifications. The court said risk and responsibility on construction projects is customarily allocated by a chain of contracts. Liability in negligence to non-contracting parties would upset this carefully negotiated balance. A contractor “must look to its agreement with the owner for damages if the project is not as represented.”

In so ruling, the Texas high court noted – and documented – that precedent on this question is fairly evenly divided among the states. There clearly are two persuasive arguments to be made. Yet, the court failed to acknowledge that on public works contracts, the contractor has no opportunity to negotiate the allocation of risk. Where do you stand? I welcome your comments.

28/07/2014
Should Designers Be Liable to Contractors for Drawing Errors?" addthis:description="Todos os que convivem com projetos e construções sabem da dificuldade hoje existente nas diferentes modalidades de projetos… São problemas que envolvem desde falhas nos documentos gerados, até mesmo omissões em relação a itens importantes. Vejam o artigo abaixo publicado pelo ConstructionPro, o qual aponta uma atual discussão sobre a responsabilidade de projetistas e construtores. […]">

Um segundo semestre que promete…anotem na agenda!!!

Como normalmente acontece na segunda metade do ano, temos no Brasil a ocorrência de vários eventos, entre eles congressos, seminários e encontros de alguns setores.

Neste 2014, o segundo semestre realmente promete, pois teremos os seguintes eventos já confirmados:

Sustentabilidade:

Facilities:

Ar Condicionado, Refrigeração, Ventilação e Aquecimento:

Além dos eventos, a ABRAFAC comemora neste ano os seus 10 anos de fundação, sendo que teremos novas eleições (conheça o edital) também neste segundo semestre.

Infelizmente, devido a proximidade das datas, não será possível acompanhar alguns destes bons eventos… mas escolham bem quais serão os seus eventos preferidos e anote em sua agenda!

28/07/2014
Um segundo semestre que promete…anotem na agenda!!!" addthis:description="Como normalmente acontece na segunda metade do ano, temos no Brasil a ocorrência de vários eventos, entre eles congressos, seminários e encontros de alguns setores. Neste 2014, o segundo semestre realmente promete, pois teremos os seguintes eventos já confirmados: Sustentabilidade: II Feira Tecnológica – Sustentabilidade em Processos Tecnológicos – FATEC Itaquera, de 05 à 06 […]">

Arquitetos e Engenheiros criticam a ameaça de agências reguladoras

Fonte: Grandes Construções (Assessoria de Imprensa)

Acesse aqui o artigo em sua fonte.

Eventi discute “sombreamento” das atividades das profissões.

Arquitetos, engenheiros e agrônomos se reuniram em Brasília, no dia 24 e 25/07 para discutir as atribuições privativas e compartilhadas entre as três modalidades profissionais. O objetivo é traçar estratégias de atuação que permitam definir quais as atividades pertinentes a cada profissão e cada conselho, buscando soluções para os problemas de “sombreamento” historicamente existentes. Na abertura do Seminário CONFEA/CAU, ficou definido que a prioridade do encontro deve ser a proteção da sociedade e o interesse público, em especial diante da ameaça de criação de agências reguladoras para assumir as funções de fiscalização das profissões.

“Este encontro representa o primeiro e definitivo passo para melhor atender à sociedade – juntos, como fazemos nos canteiros de obras e em nossos escritórios”, afirmou o presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR), Haroldo Pinheiro, na abertura do evento. Para José Tadeu da Silva,  presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (CONFEA), “o fruto do nosso trabalho, de engenheiros e arquitetos, são realizações de interesse social e humano. Estudamos e nos preparamos para fazer o bem à sociedade, garantir qualidade de vida, o desenvolvimento e o progresso do país”.

O presidente do CONFEA alertou para as ameaças do momento atual, quando setores políticos querem criar agências reguladoras para assumir as funções de fiscalização das profissões. “Há interesse em transformar os conselhos em cabides de emprego para políticos, isso acontece porque fazemos um bom trabalho. Não podemos voltar para antes de 1930, quando não havia os conselhos”.

José Augusto Viana, presidente do Conselho Federal dos Corretores de Imóveis (COFECI) e coordenador do Fórum de Conselhos Federais de Profissões Regulamentadas, destacou a importância de se resolver as questões de sombreamento profissional em eventos como esse, sem que envolver ações judiciais ou mudanças de lei no Congresso Nacional. “Os conselhos estão muito em evidência, ações como essas [na Justiça e no Congresso] trazem uma imagem tremendamente negativa. Esse evento será uma resposta aos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, uma prova de que os profissionais se entendem entre si”, disse.

O coordenador do Fórum de Conselhos destacou que os conselhos não podem perder sua autonomia administrativa e financeira. “É essa autonomia que nos proporciona isenção para julgar processos éticos e disciplinares”. Segundo Viana, essa independência é o último reduto da sociedade para se proteger de más práticas profissionais.  Por isso é importante que os debates aqui sejam sempre voltados ao interesse público, nunca ao corporativismo”.

Haroldo Pinheiro exemplificou a importância da independência dos conselhos com a recente ação conjunta de ambas as instituições,  e diversas outras do setor,  contra a ampliação do RDC (Regime Diferenciado de Contração) para todas as obras públicas, como previa a MP 630/2013, derrubada no Senado por conta da mobilização. Os debates do seminário encaminharão propostas que depois serão apresentadas em uma plenária final, a ser realizada nesta sexta-feira (25/07)  à tarde. Os eixos temáticos sãos os seguintes: Exercício Profissional,  Fiscalização; Ensino; e  Ações Interinstitucionais.

28/07/2014
Arquitetos e Engenheiros criticam a ameaça de agências reguladoras" addthis:description="Fonte: Grandes Construções (Assessoria de Imprensa) Acesse aqui o artigo em sua fonte. Eventi discute “sombreamento” das atividades das profissões. Arquitetos, engenheiros e agrônomos se reuniram em Brasília, no dia 24 e 25/07 para discutir as atribuições privativas e compartilhadas entre as três modalidades profissionais. O objetivo é traçar estratégias de atuação que permitam definir quais as atividades […]">

Por que será??…Brasil é penúltimo lugar em eficiência energética

Por que sera que aparecemos em penúltimo lugar entre os 16 maiores países do mundo, quando tratamos do quesito “eficiência energética”?

Segundo um recente estudo divulgado pelo Conselho Americano por uma Economia com mais Eficiência  Energética (ACEEE), estamos muito….mas muito atras do primeiro pais melhor colocado, que e a Alemanha.

Talvez existam leitores que fiquem espantados ou indignados com a noticia, mas fazendo um processo de analise imparcial, sera que não precisaremos:

Com varios amigos que atuam na academia, em suas respectivas universidades e faculdades, vejo de longe como e difícil obter incentivo e condições adequadas para a pesquisa e desenvolvimento. Lembro aos leitores que em função disto, muitos de nossos pesquisadores se encontram hoje em outros países.

Para quem gosta de historia, a mesma Alemanha que hoje e a primeira colocada nesta pesquisa, desenvolveu durante os preparativos para a segunda guerra mundial um combustível não fossil, o que a tornou imune aos embargos promovidos pelos ate enato aliados, ao serem informados das barbáries de Hitler.

Apesar de ser um passado distante e triste da historia mundial e da própria Alemanha, vejam que o incentivo promovido na época permitiu com que a pesquisa obtivesse sucesso, mesmo sem as condições que hoje temos.

Enquanto sentarmos na “janelinha” olhando o mundo distante e ignorando o que “avança sem retorno”, nada mudara´ e talvez percebamos tardiamente o que poderíamos ter feito….e não fizemos!

Vejam a seguir a materia.

——————————————————————————–

Brasil e´ penultimo lugar em Eficiência Energética

Fonte: Tribuna do Norte

Divulgação: Engenharia Compartilhada

Vejam aqui a materia em sua origem.

O Brasil aparece em 15º lugar entre os 16 maiores países do mundo em um ranking sobre eficiência energética, ganhando apenas do México. Segundo um novo estudo publicado pelo Conselho Americano por uma Economia com mais Eficiência Energética (ACEEE, na sigla em inglês), o país mais eficiente do mundo nesse quesito é a Alemanha, seguida pela Itália e com o agregado da União Europeia em terceiro lugar. Entre os países do grupo Bric, a China aparece em 4a lugar, a Índia fica com a 11a posição e a Rússia no fim da lista (14o).

O ACEEE elaborou o ranking dividindo a avaliação em quatro áreas, cada uma com uma pontuação máxima de 25 pontos. No total, o Brasil obteve 30 pontos, dos 100 possíveis. O pior desempenho do País foi no tópico da Indústria, no qual recebeu apenas 2 pontos. No item Esforços Nacionais foram obtidos 4 pontos, com mais 10 pontos em Construções. A área em que os brasileiros se saíram melhor foi Transportes, com 14 pontos e a quinta posição no ranking global. Ajudou o fato de os brasileiros usarem bastante o transporte público, respondendo por 37% da distância percorrida.

“A política energética no Brasil enfatiza basicamente a produção de energia renovável, deixando uma grande quantidade de eficiência energética intocada”, diz o relatório. No lado positivo, o Brasil se destaca pela taxa de investimentos em ferrovias, que é a maior entre todos os países analisados. Para cada US$ 1 investido em rodovias no País, US$ 1,28 é investido em ferrovias. A política nacional sobre uso e conservação de água também foi elogiada. O estudo aponta, porém, que apesar de o governo ter estabelecido um plano nacional sobre mudanças climáticas, não existe uma política nacional sobre economia de energia.

Entre os pontos nos quais o Brasil tem bastante a melhorar, o ACEEE lembra que não existem padrões obrigatórios para instalações elétricas em prédios e residências e que as exigências sobre eficiência energética só se aplicam a poucos equipamentos eletroeletrônicos.

O relatório também diz que o País se beneficiaria de acordos voluntários entre os setores público e privado para melhorar a eficiência energética na indústria, que incluiriam a criação de cargos específicos para cuidar dessa questão ou o estabelecimento de auditorias periódicas.

México e Brics

Grande rival do Brasil na preferência dos investidores entre os países da América Latina, o México tem a pior eficiência energética entre as economias analisadas pelo ACEEE. Os problemas se concentram principalmente na indústria, mas o estudo também ressalta a necessidade de mais recursos para pesquisa e desenvolvimento e um maior investimento em ferrovias.

A Rússia, por sua vez, aparece junto com Brasil e México no fim da tabela. A intensidade energética nas residências russas é uma das maiores do mundo, com políticas muito fracas para estimular a economia de energia. Além disso, as termoelétricas do país também estão entre as menos eficientes. Já Índia e China estão melhor colocadas no ranking. Em ambos os casos, o forte uso do transporte público é um ponto positivo, enquanto os chineses também se destacam pelos estímulos aos veículos híbridos e elétricos, embora a eficiência energética nas indústrias do país ainda seja muito baixa.

28/07/2014
Por que será??…Brasil é penúltimo lugar em eficiência energética" addthis:description="Por que sera que aparecemos em penúltimo lugar entre os 16 maiores países do mundo, quando tratamos do quesito “eficiência energética”? Segundo um recente estudo divulgado pelo Conselho Americano por uma Economia com mais Eficiência  Energética (ACEEE), estamos muito….mas muito atras do primeiro pais melhor colocado, que e a Alemanha. Talvez existam leitores que fiquem […]">

Histórias da Manutenção …

Esta última semana me fez lembrar de um fato ocorrido há muito tempo…

Uma certa vez, recebemos um recém formado em engenharia para atuar na área de manutenção, o que certamente não havia feito parte dos desejos e planos do jovem que acabara de chegar…

Ainda um pouco preocupado com o desafio, o jovem perguntou à um dos funcionários mais experientes sobre como era atuar em um setor tão demandado e envolvido com riscos de paralização por falhas em equipamentos, etc, caso algo de errado ocorresse no desenvolvimento dos trabalhos.

O funcionário mais experiente então lhe disse sem um “piscar de olhos” que tudo era pura emoção….nada mais do que matar um “leão por vez” (referindo-se a falta de monotonia).

Pois bem, passados alguns meses, durante um almoço com os colegas, o recém chegado confessou ainda estar assustado com a área, dizendo-se ter sido “enganado” pelo colega que lhe deu a resposta acima….

Leão na Savana

“Ele me disse que bastava matar um leão por vez…..mas não me disse que a nossa área de manutenção estava inserida no meio de uma savana, cercada por bandos de leões famintos…”

19/11/2013
Histórias da Manutenção …" addthis:description="Esta última semana me fez lembrar de um fato ocorrido há muito tempo… Uma certa vez, recebemos um recém formado em engenharia para atuar na área de manutenção, o que certamente não havia feito parte dos desejos e planos do jovem que acabara de chegar… Ainda um pouco preocupado com o desafio, o jovem perguntou […]">

Brasil apresenta o Domus – Procel Edifica

Brasil – Conheça o “Domus – Procel Edifica “, o software de simulação higrotérmica e energética de edificações

O Domus-Procel Edifica é o primeiro software brasileiro de auxílio ao desenvolvimento do programa brasileiro de Regulamentação de Eficiência Energética em Edificações. A ferramenta facilita a avaliação para a etiquetagem de edificações públicas, comerciais e de serviços, e permite simulações com variáveis de umidade, calor, consumo e demanda de energia, a fim de proporcionar o máximo de conforto, evitando o desperdício de eletricidade.

Segundo o Gerente do Departamento de Projetos de Eficiência Energética da Eletrobras, Fernando Perrone, a plataforma Domus Procel Edifica, de simulação higrotermoenergética e de capacitação profissional, é uma ferramenta genuinamente brasileira, que possui uma interface própria de Projeto Assistido por Computador que permite a elaboração rápida de projetos para analise de desempenho de componentes construtivos e de sistemas de climatização. “O programa lê plantas baixas, de softwares como AutoCAD e Vectorworks, entre outros. A leitura também é possível em arquivos do Energy Plus, que permite a obtenção de dados de geometria da edificação e elementos construtivos (camadas e suas propriedades termofísicas, ganhos internos e calendários), que facilita a analise do nível de eficiência de forma rápida, para arquivos nesse formato, tanto para o método prescritivo quanto para a simulação”, diz ele.

Em virtude do enfoque em emissão de etiquetas de eficiência energética para edificações, lembrando-se que elas são responsáveis por cerca de 48% da energia elétrica total consumida no País, no mês passado a Eletrobras lançou o software Domus-Procel Edifica, por um investimento de R$ 1,75 milhão , e através de uma parceria com a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUC-PR), o Ministério de Minas e Energia e o Inmetro.

“A Eletrobras patrocinou essa ferramenta de grande qualidade, com potencial expressivo para redução de energia, contribuindo, assim, para que a sociedade brasileira usufrua conforto e promova sustentabilidade”, afirmou a superintendente de Eficiência Energética da Eletrobras, Renata Leite Falcão.

O Domus – Procel Edifica é um software de simulação higrotérmica e energética de edificações que fornece perfis de temperatura e umidade nas paredes para qualquer intervalo de tempo, além de apresentar valores de temperatura e umidade relativa para cada zona de uma ou mais edificações, considerando não apenas o transporte de calor, mas, também, de vapor e de líquido através do envoltório da edificação. Pode-se também obter e visualizar a ENCE de acordo com o RTQ-C, tanto pelo método prescritivo quanto pelo método de simulação.

“A Eletrobras patrocinou essa ferramenta de grande valia, com potencial expressivo para redução de energia, contribuindo, assim, para a sustentabilidade da sociedade brasileira”

Na época das crises mundiais no abastecimento de petróleo, aconteceram grandes perdas em diversos setores da atividade humana, inclusive os elevados preços de energia. Sabendo-se que um projeto energicamente eficiente pode apresentar diminuição substancial de consumo de energia, pesquisas voltadas a eficiência energética foram feitas para o setor de construção civil. Além dos benefícios econômicos, as edificações de alta performance contribuem positivamente para o meio ambiente,reduzindo as emissões e consequentemente atenuando os efeitos do aquecimento global. Desta forma, o Domus-Procel Edifica foi desenvolvido, principalmente para utilização racional de energia e obtenção de um melhor equilíbrio entre Economia, Energia e Meio Ambiente.

Voltado para profissionais de engenharia e arquitetura, o software analisa diversos parâmetros, como conforto térmico, risco de crescimento de mofo e dimensionamento de sistemas de climatização. Uma das características deste software é sua aplicação didática e sua interface amigável, de fácil uso, possibilitando que o profissional da área de energia determine os ganhos térmicos de forma muito mais rápida e precisa, evitando o superdimensionamento de um equipamento. Além de permitir também avaliar de forma simples, alternativas de climatização passiva.

Modelado para simular e analisar parâmetros como conforto térmico e consumo de energia em edificações, o software pode ser considerado de grande importância para melhorar a qualificação de projetos residenciais, comerciais e industriais, tornando viável uma maior eficiência energética destes projetos, sem diminuir os índices de conforto dentro da edificação.

Dentre diversos benefícios da ferramenta computacional, tal como suporte didático a alunos de cursos de Engenharia e de Arquitetura, espera-se que este programa contribua de forma expressiva para a difusão da cultura da eficiência energética em edificações e, consequentemente, para a redução do consumo de energia elétrica em edificações novas e já existentes.

Segundo dados da Eletrobras Procel, o potencial de conservação de energia desse setor é expressivo. A economia pode chegar a 30% para edificações já existentes, se passarem por uma reforma ou atualização, enquanto nas novas edificações, ao se utilizar tecnologias energeticamente eficientes desde a concepção inicial do projeto, a economia pode superar 50% do consumo.

Perrone diz ainda que “Essa poderosa ferramenta computacional promovida pela Eletrobras e referência brasileira de simulação para o processo de etiquetagem de edificações vem propiciar o atendimento ao mercado de profissionais de engenharia e arquitetura, projetistas de climatização, entre outros agentes da cadeia da construção civil brasileira e internacional”, finaliza.

Para saber mais sobre o software “Domus-Procel Edifica”, acesse o Portal da Domus, e encontre disponível o material didático, inclusive vídeos demonstrativos para download e tutorial.

Fonte: Boletim PROCEL Info

07/11/2013
Brasil apresenta o Domus – Procel Edifica" addthis:description="O Domus-Procel Edifica é o primeiro software brasileiro de auxílio ao desenvolvimento do programa brasileiro de Regulamentação de Eficiência Energética em Edificações.">

ASBRAV divulga curso para instalador de splits em Porto Alegre

DIVULGA – CURSOS

Curso Instalação de Split
Última turma de 2013
Aulas de 11/11 a 20/12/2013
Últimas vagas – aproveite oportunidade de se qualificar!
Sobre o curso
Carga Horária: 60 horas
 Programa:
 Sistemas Split. Aplicação, Vantagens e Desvantagens;
 Noções de Carga Térmica. Cálculo com utilização de Planilha  Simplificada;
 Seleção de Equipamentos;
 Instalação de Unidade Condensadora e Evaporadora;
 Interligação de Tubulações;
 Redes de Dreno;
 Processos de Pressurização, Desidratação, Carga de Refrigerante e  Óleo;
 Dimensionamento Elétrico de Instalações;
 Interligação Elétrica;
 Start-up (Partida);
 Teste de Funcionamento;
 Manutenção Preventiva e Corretiva;
Local e Horário (3 x por semana – 20 encontros)
As aulas serão ministradas na sede da ASBRAV em Porto Alegre RS.
2ª, 3ª e 4ª das 19h às 22h
(se feriado 2ª, 3ª ou 4ª: aula será recuperada na mesma semana quinta e/ou sexta).
Investimento
Associados ASBRAV: Total R$ 560,00
No ato da matrícula R$ 280,00 mais 1 parcela de R$ 280,00 (30 dias)
Demais Interessados: Total R$ 840,00
No ato da matrícula R$ 420,00 mais 1 parcela de R$ 420,00 (30 dias)
Informações e Inscrições
Sede da ASBRAV em Porto Alegre
Rua Arabutan 324 – Bairro Navegantes
Fone/Fax (51) 3342-2964 / 3342-9467 / 9151-4103 / 9151-4104
E-mail: asbrav@asbrav.org.br – www.asbrav.org.br
Importante:
Necessário inscrição antecipada.
Datas sujeitas a alteração sem prévio aviso.
Próxima Turma (março 2014)
Cronograma de Atividades ainda não definido.
07/11/2013
ASBRAV divulga curso para instalador de splits em Porto Alegre" addthis:description="Sistemas Split. Aplicação, Vantagens e Desvantagens; Noções de Carga Térmica. Cálculo com utilização de Planilha Simplificada; Seleção de Equipamentos; Instalação de Unidade Condensadora e Evaporadora; Interligação de Tubulações; Redes de Dreno; Processos de Pressurização, Desidratação, Carga de Refrigerante e Óleo; Dimensionamento Elétrico de Instalações; Interligação Elétrica; Start-up (Partida); Teste de Funcionamento; Manutenção Preventiva e Corretiva;">

TAM busca Coordenador de Manutenção Predial

A TAM anunciou a abertura do cargo de Coordenador de Manutenção Predial. O profissional, que deve ser formado em Engenharia Elétrica, será responsável por gerenciar uma equipe de 20 pessoas nas áreas de manutenção elétrica, mecânica, refrigeração e civil. Profissional deve ter formação em Engenharia Elétrica e experiência mínima de cinco anos

Veja abaixo a descrição completa do cargo, das responsabilidades e dos requisitos exigidos pela companhia:

Cargo:

– Coordenador de Manutenção Predial (Engenheiro Eletricista)

Pré-requisitos:
– Graduação superior em escola de primeira linha no curso de Engenharia Elétrica.
– Experiência: cinco anos
– Idiomas: inglês
– Conhecimento em Project, AutoCad e Office

Missão do cargo:
– Coordenar equipe de 20 pessoas nas áreas de manutenção elétrica, mecânica, refrigeração e civil;
– Participar da elaboração de revisão dos procedimentos de manutenção;
– Garantir a disponibilidade contínua das instalações e equipamentos da TAM MRO nos aspéctos técnicos e operacionais.

Responsabilidades Principais:
– Elaborar e manter atualizado o Plano de gestão e/ou o Manual de Gerenciamento da manutenção;
– Definir, juntamente com a gerência, os itens de controle para avaliação do desempenho da manutenção e negociar as metas;
– Desdobrar para a sua equipe todos os itens de controle e as metas definidas;
– Prover recursos e promover, permanentemente, o desenvolvimento técnico e gerencial da sua equipe, buscando a melhoria contínua e oferecendo-lhes condições de desenvolver o seu potencial, adequando-os às necessidades da excelência dos serviços prestados;
– Assegurar a aplicação dos padrões técnicos e administrativos da CONTRATADA, bem como normas e padrões do cliente;
– Garantir a execução dos serviços em total acordo com as normas, procedimentos, instruções e especificações técnicas instituídos pela empresa e/ou pelo cliente no que se refere à qualidade, meio ambiente, saúde e segurança ocupacional;
– Manter contato permanente com os clientes internos para obter e passar informações relevantes a prestação dos serviços de manutenção predial;
– Coordenar a interface entre as equipes de Planejamento, administração, Segurança do Trabalho, Qualidade e Supervisão;
– Elaborar relatórios mensais do desempenho da manutenção;
– Identificar/analisar desvios e anomalias quanto à execução dos serviços (envolvendo a aplicação das normas, procedimentos, instruções, especificações e padrões técnicos e/ou administrativos) e a relação interpessoal da equipe, e gerar ações relativos a desvios/anomalias identificados;
– Participar proativamente das reuniões de desdobramento com seus subordinados diretos, apresentado os resultados obtidos face ao previsto, os desvios e anomalias detectado e os respectivos planos de ações estabelecidos;
– Seguir normas e procedimentos da Qualidade, Segurança e Meio Ambiente e Responsabilidade Social.
– Planejamento, execução e controle dos serviços de manutenção industrial preventiva, preditiva e corretiva;
– Levantamento de necessidades de infraestrutura da MRO;
– Implantação e acompanhamento do plano de inspeção, manutenção preventiva e corretiva relacionada à infraestrutura;
– Levantamento em campo das necessidades para manutenção preventiva e corretiva;
– Estudo de viabilidade de novas alternativas relacionadas a manutenção predial;
– Elaboração de edital para contratação de serviços relacionados a área de Facilities;
– Administração das receitas e despesas correntes;
– Elaboração de requisições de compra e liberações de contratos;
– Coordena e implementa projetos relacionados a racionalização de recursos;
– Estudos de viabilidade de novos projetos;
– Realiza estudos de fluxo de potência, curto-circuito, transitórios eletromagnéticos e eletromecânicos, confiabilidade, econômicos e de qualidade de energia;
– Participa de estudos e pesquisas para a adoção de novas técnicas, especificação de equipamentos e recomendação de novas tecnologias para a operação e a expansão adequada de sistemas elétricos;
– Elabora projetos de instalações elétricas de pequeno porte;
– Elaborar o planejamento de operação e expansão do sistema elétrico;
– Entra em contato com a CPFL para tratar assuntos relacionados ao fornecimento de energia elétrica;
– Gerenciar tarefas relacionadas a projetos de manutenção de instalações, aparelhos e equipamentos elétricos, orientando-se por plantas, esquemas, instruções e outros documentos específicos, utilizando instrumentos apropriados, para garantir o perfeito funcionamento dos mesmos;

Interessados devem enviar os seus currículos no seguinte e-mail: daniela.goulart@tam.com.br

01/11/2013
TAM busca Coordenador de Manutenção Predial" addthis:description="A TAM anunciou a abertura do cargo de Coordenador de Manutenção Predial. O profissional, que deve ser formado em Engenharia Elétrica, será responsável por gerenciar uma equipe de 20 pessoas nas áreas de manutenção elétrica, mecânica, refrigeração e civil. Profissional deve ter formação em Engenharia Elétrica e experiência mínima de cinco anos Veja abaixo a descrição […]">

Facilities Services divulga turma intensiva do Curso de Gestão de Facilities em SP

Especialista na formação de gestores no segmento de Facility Management, a Facilities Services divulgou o início de uma turma intensiva (Módulo 1) que acontecerá em SP entre os dias 15/11 e 21/11.

Mais informações poderão ser obtidas através do site Academia de Facilities – Facilities Services – www.facilitiesservices.com.br

01/11/2013
Facilities Services divulga turma intensiva do Curso de Gestão de Facilities em SP" addthis:description="Especialista na formação de gestores no segmento de Facility Management, a Facilities Services divulgou o início de uma turma intensiva (Módulo 1) que acontecerá em SP entre os dias 15/11 e 21/11. Mais informações poderão ser obtidas através do site Academia de Facilities – Facilities Services – www.facilitiesservices.com.br">

O desenvolvimento de Facilities Management no Rio de Janeiro

Regional Facilities Manager at Subsea 7 Oil&Gas Industry

Caros amigos, gostaria de divulgar o primeiro curso de Pós-Graduação em FM do Rio de Janeiro, iniciativa do nosso amigo Edison Da Silva Sanromã. O curso iniciará na próxima semana mas ainda há condições de inscrição. Nos veremos lá. Segue link.http://www.avm.edu.br/novo_site2/pospresencial.asp?pos=0

I’m very proud in share with my friends and colleagues our first Postgraduate Course in FM in Rio de Janeiro/Brazil, starting next week.
For us, this is the first step to profissionalize the market in the city that is receiving big investments due to Soccer World Cup/2014 and Olympic Games/2016.
We are open to partnerships and you can see below the course link.
http://www.avm.edu.br/novo_site2/pospresencial.asp?pos=0

 

01/11/2013
O desenvolvimento de Facilities Management no Rio de Janeiro" addthis:description="Regional Facilities Manager at Subsea 7 Oil&Gas Industry Caros amigos, gostaria de divulgar o primeiro curso de Pós-Graduação em FM do Rio de Janeiro, iniciativa do nosso amigo Edison Da Silva Sanromã. O curso iniciará na próxima semana mas ainda há condições de inscrição. Nos veremos lá. Segue link.http://www.avm.edu.br/novo_site2/pospresencial.asp?pos=0 I’m very proud in share with my […]">

Rede Brasileira de Manutenção divulga curso sobre Operação & Manutenção Predial em SP

Durante os próximos dias 23 e 24/10 será realizado em SP o curso o curso Operação & Manutenção Predial organizado pela Lima Walter Eventos.

Neste curso em específico, abordaremos não só os conceitos e melhores práticas de mercado, mas abordaremos também alguns aspectos normativos, haja vista a atualização recente de algumas normas brasileiras, assim como a interferência de nossas operações em edifícios “verdes”, recentemente certificados.

Vale a pena conferir no link Curso de Operação & Manutenção Predial SP

23/09/2013
Rede Brasileira de Manutenção divulga curso sobre Operação & Manutenção Predial em SP" addthis:description="Durante os próximos dias 23 e 24/10 será realizado em SP o curso o curso Operação & Manutenção Predial organizado pela Lima Walter Eventos. Neste curso em específico, abordaremos não só os conceitos e melhores práticas de mercado, mas abordaremos também alguns aspectos normativos, haja vista a atualização recente de algumas normas brasileiras, assim como […]">
Converse no WhatsApp